2ª Caminhada Noturna - Circuito da Natureza

Almirante Tamandare - PR - Brasil

  • ll1.jpegll1.jpeg

As inscrições começam à partir de 27-09-2019 ate 19-10-2019 as 11:00

Faça sua Inscrição

Informações do Evento:

  • De: 19-10-2019
  • 17:45 - 23:00
  • Almirante Tamandare - PR - Brasil
  • Distância: 14 Kms (exatos 14.000 mts)
  • Saída : RUA ISIDORO DA SILVA, 127 - LAMENHA GRANDE
  • 421 inscritos, de 5000 vagas.
  • Num. Anda Brasil : 1214
  • Idade Mínima: 10 anos
  • Nota Média Avaliação em 2018: 8.78
  • Esforço físico : Esforço moderado
  • Orientação do percurso : Caminho ou sinalização que indica a continuidade
  • Severidade do meio : Pouco severo
  • Condição do terreno : Percurso com piso irregular
  • O Trajeto é composto por : Trilhas e Estradas
  • Terão banheiros disponíveis ? : Sim, Normais
  • Mesmo com chuva forte terá o Evento ? : Sim
  • Quantos Pontos de Apoio terão ? : 5
  • Terá Ambulância no local ? : Sim, terá Ambulância
  • Posso levar meu Cão/Gato no evento ? : Sim
  • Necessário levar ... : Garrafa de Água
  • Levar doação solidária? : Sim,01 litro de leite ou 1kg de alimento não perecível
  • Importante tomar a vacina ? : Sim - da Febre Amarela 10 dias antes
Aguarde o Gráfico...

*******    2° CAMINHADA NOTURNA – ALMIRANTE TAMANDARÉ – PR   ********

                CIRCUITO DA NATUREZA – EDIÇÃO “OUTUBRO ROSA”

DATA: 19/10/2019;

LOCAL/CONCENTRAÇÃO: IGREJA DE SÃO MIGUEL;

(Rua Isidoro da Silva, 127 – São Miguel – Lamenha Grande)

HORÁRIOS: CREDENCIAMENTO A PARTIR DAS 17:45HS;

INFORMAÇÕES/AQUECIMENTO 18:30HS;

INICIO DA CAMINHADA 19:00HS PREVISÃO P/TERMINO 22:30HS.

DISTÂNCIA – 14 KM.

INFORMAÇÕES:

 - INSCRIÇÃO SOLIDARIA - 01 QUILO DE ALIMENTO e/ou 01 LENÇO PARA DOAÇÃO;

 ESTACIONAMENTO GRATUITO NO LOCAL.

(OBS: SEGUIR INDICAÇÃO E ORIENTAÇÃO DA EQUIPE ORGANIZADORA).

- O QUE TRAZER.

LANTERNA, REPELENTE, GARRAFA/SQUEESE DE ÁGUA, TÊNIS E ROUPAS APROPRIADAS PARA A ATIVIDADE.

- TRAZER A FICHA DE INSCRIÇÃO IMPRESSA!!!

(OBS: QUEM JÁ POSSUI A CADERNETA DO ANDA BRASIL FAVOR TRAZER)

- PERCURSO E RESTRIÇÕES.

TRAJETO SERA DE 14 KM, PASSANDO POR ESTRADAS RURAIS PAVIMENTADAS E NÃO PAVIMENTADAS, TRECHOS SEM ILUMINAÇÃO,  PROPRIEDADES E TRILHAS. 

SERÃO 5 PONTOS DE PARADA CONTENDO ÁGUA, BANHEIRO E CARIMBO.

 - TERMINO DA CAMINHADA – CAFÉ RURAL.

APÓS O FINAL DA CAMINHADA, A COMUNIDADE DE SÃO MIGUEL ESTARÁ RECEPCIONANDO E SERVINDO UM DELICIOSO CAFÉ RURAL.

CARDÁPIO – CAFÉ, LEITE, CHÁ, SUCOS, BOLOS DE CENOURA, NEGA MALUCA, FUBÁ, BANANA, TORTA DE REQUEIJÃO, KUQUE DE POLACO, BROA CASEIRA, PÃO CASEIRO, PATÊS, VINA AO MOLHO, OVOS MEXIDOS, BOLOS SALGADOS, QUEIJOS, SALAMES, FRUTAS E MUITO MAIS VARIEDADES.

VALOR R$ 25,00 POR PESSOA / CRIANÇA ATÉ 7 ANOS NÃO PAGA / DE 7 A 10 ANOS METADE.

 # VALOR DEVERÁ SER PAGO DIRETAMENTE AO EMPREENDIMENTO.

- ATRATIVOS:

#FEIRA COM PRODUTORES RURAIS LOCAIS;

# FEIRA DE ARTESANATO;

# WORKSHOP COM EMPREENDEDORES DO CIRCUITO;

 DEMAIS INFORMAÇÕES DEPARTAMENTO DE TURISMO:

TELEFONES: (41) 36990-1160 (41) 98804-5175 (Tiago)

E-MAIL: turismo@tamandare.pr.gov.br

 

 

O município tem boas condições de acesso, através da Av. Anita Garibaldi, da Rodovia dos Minérios e do Contorno Norte, que favorecem o deslocamento a partir de Curitiba.

 - Teremos placas de sinalização a partir do centro de Almirante Tamandaré. 

Como Chegar:

Para chegar ao local, o motorista pode pegar a Rua Rachel Cândido de Siqueira, próxima ao Terminal de Tamandaré; seguir pela Av. Ver. Wadislau Bugalski; após a Casa do Agricultor entrar à direita na Rua Pedro Jorge Kotoviski.

Porém, há um caminho alternativo pela Av. Ver. Wadislau Bugalski; passando pela Igreja São João Batista, seguir reto e virar à esquerda na Rua Izidoro da Silva, a Igreja fica no final da rua. 

 

  • Responsável :TIAGO VAZ
  • +55 (41) 3657-1160
  • tiagovaz@tamandare.pr.gov.br;
  • https://tamandare.caminhadas.info

O Município de Almirante Tamandaré tem seu desenvolvimento histórico ligado às explorações auríferas do sertão de Curitiba. Antes disso, porém, os seus mais antigos habitantes foram os índios TINGÜIS, os quais, conforme relato do historiador paranaense Romário Martins, "dominavam, no século do descobrimento do sertão, os Campos de Curitiba, a partir da encosta ocidental da Serra do Mar (São José dos Pinhais, Piraquara, Campo Largo, Araucária, Tamandaré, Colombo, Campina Grande e Rio Branco)."

Sobre eles, é ainda o mesmo historiador que nos esclarece: "Os Tingüis (Tin gui = nariz afilado) não hostilizam os aventureiros pesquisadores e exploradores de ouro que se estabeleceram com arraiais no Atuba e na chapada do Cubatão, inícios da formação de Curitiba. Deixaram-se ficar pelas imediações desses primeiros núcleos de população branca e foram serviçais das explorações auríferas, dos sítios de criação de gado, etc. Seus mestiços ainda constituem parte da população de vários municípios acima citados e se ufanam de sua ascendência. Não vai longe o tempo em que o caboclo de Araucária e de Tamandaré avisava o contendor nas suas rixas: "Cuidado que eu sou Tingüi!"

Assim, é inquestionável o fato desses silvícolas terem sido os primeiros senhores destas terras que, por sua índole dócil e pacífica, cederam depois aos brancos exploradores.

Uma das primeiras bandeiras exploradoras de ouro de que temos notícia ter passado pelas terras de Tamandaré, conforme conta Alfredo Ellis Júnior, foi a comandada pelo famoso bandeirante Antônio Raposo Tavares, no ano de 1631. No entanto, o primeiro explorador aurífero a realmente estabelecer-se na região, foi o Capitão Salvador Jorge Velho, sertanista de Rio Pardo, em 1680, por ocasião de suas pesquisas mineradoras que resultaram no chamado " Descoberto da Conceição", no Quarteirão de Conceição, Distrito de Campo Magro, segundo relata o historiador paulista Pedro Taques, confirmado por Ermelino Agostinho de Leão no seu "Dicionário do Paraná". Ainda hoje existem, naquela localidade, vestígios da exploração aurífera ali realizada por aquele sertanista e continuada, mais tarde, pelo Guarda-mór Francisco Martins Lustosa.

Finda a febre do ouro, com o esgotar dos ricos filões, as pequenas povoações serviram apenas de local de descanso, para renovação de provisões e pousada para os tropeiros e seus animais, quando estes, provindos de São Paulo e a caminho da Província de São Pedro do Rio Grande, Uruguai ou Argentina - onde iam em busca de cavalos, muares ou gado bovino - aqui resolviam acampar.

Mais tarde, outros povoadores buscaram esta região. Não mais os aventureiros nômades, inconstantes e visionários do ciclo do ouro, mas pessoas afeitas ao trabalho, que buscavam a fertilidade destas terras com intenção de cultivo permanente e de trabalho honesto, para nela fixar-se e aqui produzir concretamente, sem alimentar sonhos mirabolantes e devaneios visionários... assim, aqui foram surgindo novas povoações, como Pacotuba, Botiatuba, Cercado, Mato Dentro e outras mais, muitas delas frutos da colonização alemã, italiana e polonesa, como Antonio Prado, Boixininga, Tranqueira, Lamenha Pequena, Lamenha Grande, Santa Gabriela, São Miguel etc.

Com o desenvolvimento constante da região o Governo Provincial criou, em 10 de maio de 1875, a Freguezia de Pacotuba, a pedido de seus habitantes, pela Lei nº. 438. Assinada pelo Presidente Adolpho Lamenha Lins. O progresso da região não cessa, havendo constante desenvolvimento dos povoados, particularmente do chamado Cercado, situado entre morros e às margens do aprazível Rio Barigüi. O desenvolvimento desse povoado motivou a sua elevação à condição de sede da Freguezia, em 6 de setembro de 1888, pela Lei nº. 924, com a nova denominação de Nossa Senhora da Conceição do Cercado; mais tarde a povoação foi elevada a Villa, pela Lei nº. 957, de 28 de outubro de 1889, tendo sido o último município criado pelo regime monárquico no Paraná, desmembrado do Município de Curitiba.

As informações citadas aqui foram obitidas no http://tamandare.pr.gov.br/historia-do-municipio.



Booking.com
  • Não existem Pousadas cadastradas
Ainda não possuimos informações cadastradas sobre as Propriedades Rurais nesta Cidade que estarão neste Evento.

Ad Ad Ad